De volta aos clássicos: O professor aloprado

- De volta aos clássicos, Filmes

Logo-de-volta-aos-clássicos

cx106461A nossa coluna hoje traz um clássico, daqueles do tipo sessão da tarde, com C maiúsculo. Lembro-me quando eu e meus irmãos nos deleitávamos diante da televisão com os filmes de Jerry Lewis. Serve um conselho? Pegue a  pipoca com guaraná e divirta-se com as aventuras do mestre da comédia.

Há muito tempo estava com vontade de assistir um filme com Lewis.  E, em um domingo desses, minha irmã e eu procurando algo para ver no Netflix, nos deparamos com a comédia  The Nutty Professor,  que em português foi intitulado O Professor Aloprado.

 O filme é de 1863 e traz um Jerry Lewis impagável na arte da interpretação. Na história ele dá vida a dois personagens e nos apresenta a dimensão do seu talento.

Na pele de Julius Kelp, o ator personifica a figura do pacato e trapalhão professor rejeitado por seus alunos e pelas garotas e que tenta obter notoriedade sob o grupo, mas não consegue. Sentindo-se desprezado por não ser provido de beleza física e de não atrair olhares de admiração, amarga certa frustação.

Olha só que figura. Eis, então,  Mr. Kelp:

A baixa autoestima o leva a descobrir a formula mágica para se tornar um homem atraente, admirado pelas mulheres e invejado pelos homens. Nesse momento, nos é apresentado o sedutor canastrão  Buddy Love.

Com vocês,  Love:

Feitas as apresentações, voltemos ao texto.

Ocorrem inúmeras situações que requer do professor habilidade para ocultar a sua dupla personalidade. Já é possível supor que muitas enrascadas se sucederão até que aconteça o gran finale. E se você imagina ser essa uma comédia rasgada daquelas de se acabar de rir, continue a leitura desse post.

Lewis, que também dirige o filme, abre mão do estilo escrachado de fazer comédia para adotar a sutileza no humor. Em momento algum me vi rindo das cenas até chorar. Mas, é possível perceber que o humor foi entregue em doses comedidas e estrategicamente escolhidas. Ele está presente nos gestos, nos olhares, na entonação de voz  e até no silêncio de Lewis. Um verdadeiro showman.

E não poderia ser diferente, não é mesmo? Lewis é referência na arte de fazer rir. E por isso, talvez, o meu  estranhamento em não me deparar com o tom escrachado de outros filmes. Em O Professor Aloprado ele nos apresenta outra faceta do ator que se permite ousar de forma criativa e única.

Acostumada a vê-lo sempre no papel do cara trapalhão, me surpreendi quando o vi no papel do galã, que sempre é interpretado por outro ator em seus filmes. Dessa vez é o próprio Lewis quem incorpora o cara sedutor cobiçado pelas mulheres.

Na história, ele acaba por  se envolver com uma de suas alunas: Stella.  Interpretada pela atriz Stella Stevens. A garota  não desconfia que o sexy Buddy Love não passa do atrapalhado professor das aulas de química. Se este ainda é um tema polêmico nos dias de hoje, imagine para época em que o filme foi lançado.

O filme, ainda que de forma bem humorada, trata sobre a questão da  baixa autoestima. O professor que não se aceita como é e que dá demasiada ênfase às imperfeições em detrimento das qualidades que possui. A forma como ele se enxerga, considerando-se um fracassado, o leva a se isolar das pessoas na tentativa de esconder as suas frustrações. E busca aceitação aparentando  ser o que não é. Analogamente, observa-se que a necessidade constante pela busca da perfeição tem criado uma sociedade escrava do culto à estética quando na verdade os valores que realmente importam tem sido relegados a segundo plano.

Os fãs da boa comédia, podem se divertir com duas releituras do grande sucesso de Jerry Lewis:

21f523ba37a03ca22012f29af07c9c95

1. O Professor Aloprado de Eddie Murphy conta com Lewis como produtor executivo. Nesta versão Eddie além de interpretar os personagens Julius Kelp e Buddy Love, dá vida a mais quatro personagens. Essa versão fez muito sucesso e ainda hoje é transmitido nas sessões da tarde da vida.O Professor Aloprado
2. Essa animação baseada no filme O Professor Aloprado Lewis conta com Lewis emprestando sua voz para compor os dois personagens que o consagraram em 1963:  Julius Kelp e Buddy Love.
Logo-coluna-Sentindo

colagemoprofessoraloprado1.Veja bem: Quem não gosta de saber o que rola por detrás das gravações de um filme? Um achado que só a internet pode nos propocionar.

2.Toda ouvidos: A música I’m In The Mood for Love (de Jimmy McHugh and Dorothy Fields, 1935) compõe a trilha sonora do filme. Aqui cantada por uma banda feminina super cool, com uma pegada vintage e um jazz de qualidade.

3.Mete o nariz: 12 minutos para você refletir sobre autoestima.

4.É de dar gosto: O figurino de Stella Stevens em O Professor Aloprado. Moda anos 60!

5.A Flor da Pele:  Saudade define o sentimento da vez. Eu e meus dois irmãos, sentados no sofá, comendo a mais deliciosa pipoca feita por nossa mãe e rindo das trapalhadas de Jerry Lewis.

Acompanhe-nos em nossa redes sociais:

Facebook * Twitter * Google Plus

Comments

comments

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    leninharomantica
    16 de agosto de 2016 at 11:13

    Ganhei minha manhã lendo esse post, viajei no tempo e deu aquela vontade de assistir não só esse, mas outros filmes do ator. Amo Jerry Lewis, o cara sabia fazer humor como nenhum outro. Era coisa de expressão, olhar, gestos. Ele nem precisava abrir a boca e vc já estava morrendo de rir.
    Vou me programar para ver alguma coisa dele, matar a saudade é bom demais.
    Bjs

  • Rê Lima
    Reply
    Rê Lima
    16 de agosto de 2016 at 23:19

    Fico feliz por ter alegrado sua manhã. Ou melhor, o mestre Lewis! Eu senti o mesmo ao assistir o filme, Leninha. Bateu uma baita saudade da infância. Esse post mexeu com lembranças preciosas para mim.

  • Deixe uma resposta